Amor aos animais

Compartilhe este texto:

Eu tinha uma amiga que se achava uma pessoa com grande sensibilidade e amor pelos animais. Do tipo que tem a casa cheia de gatos e cachorros. Aí ela foi pra Índia passar um tempo com uma família indiana. Quando ela  voltou, me disse que descobriu que ela não era nada daquilo. Ela não amava os animais – o que ela amava eram gatos e cachorros. Os indianos sim que amavam os animais. Sua anfitriã indiana não podia ver uma galinha, uma cabra, um besouro, qualquer criatura, sem ter vontade de abraçar e achar lindo.

Nós temos uma clara hierarquia entre animais. Alguns são comestíveis e outros não, alguns ficam dentro de casa e outros não, alguns merecem nosso carinho e outros não. Gatos e cachorros a cada dia se tornam mais importantes para nós, são como filhos peludos. A idéia de alguns comerem cachorro nos parece tão bárbaro quanto canibalismo. E cavalos? Os que não aceitam cavalo como animal de abate alegam que são animais muito inteligentes e sensíveis. Se o critério é inteligência, podemos lembrar que polvos são muito inteligentes, ratos são inteligentes, baleias são inteligentes. E ninguém os adota ou acha errado comê-los só por causa disso.

Amor aos animais indica superioridade moral? Não sei. Tal como minha amiga depois da viagem, não consigo achar que amar gato e cachorro mereça o nome de amor aos animais. Enquanto alguns merecerem amor e outros puderem morrer, vejo tudo como parte da mesma construção social.

1 comentário em “Amor aos animais”

  1. Perfeito. Eu acho tão, mas tão presunçosa essa autodenominação “protetor de animais.” Sem entrar na discussão bichos x bicho gente, realmente o amor aos animais vai muito além de duas ou três espécies.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *