Desistências

Compartilhe este texto:
O blog está às moscas, eu sei. É que me envolver demais com dança me deixa agitada e não consigo ler. Só tenho me mantido fiel ao Nêmesis, porque é um livro que leio num momento muito específico – e porque Asimov é aquilo de sempre. Tendo em vista que não estou num momento muito literário, talvez tenha feito umas escolhas meio injustas: parei de ler O diabo e outras histórias. Acho que não me afino com Tolstói. Li o primeiro conto e achei intolerante e moralista. Não que um autor não possa escolher um lado, mas que seja mais sutil, que pelo menos tente ter alguma empatia. Peguei também Sargento Getúlio, porque adoro João Ubaldo, e estou pra desistir a qualquer momento. Achei o início interessante, e me lembrou bastante Grande Sertão: Veredas pelo uso da linguagem popular. Mas Riobaldo não é só linguagem, ele tem uma doçura que conquista o leitor rapidamente. No Sargento Getúlio a tal linguagem está me parecendo pura masturbação literária, não gostei.

Pode ser só injustiça minha. Mas a vida é curta e os livros são muitos, então vou em frente.

1 comentário em “Desistências”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *